segunda-feira, 13 de novembro de 2017

LIVRO PENA DE MANDARIM: ORIGEM


LIVRO: ORIGEM
AUTOR: DAN BROWN
EDITORA ARQUEIRO
2017

COMO SEUS ANTERIORES ROMANCES DE INVESTIGAÇÃO, PERMEANDO REALIDADE E FICÇÃO EM FATOS MISTERIOSOS QUE INSTIGAM NOSSO CONSCIENTE, O AUTOR, NESTE LIVRO ORIGEM, ABORDA A QUESTÃO PRIMORDIAL DA HUMANIDADE, O SEGREDO JAMAIS REVELADO: QUEM SOMOS? DE ONDE VIEMOS E PARA ONDE VAMOS?
O PERSONAGEM PRINCIPAL DO LIVRO, É O BILIONÁRIO NORTE-AMERICANO EDMOND KIRSCH, NOTÁVEL CIENTISTA DA INFORMÁTICA, CRIADOR DE ULTRA SOFISTICADOS SOFTWARES PARA QUE COMPUTADORES SE TORNEM PARTE DA HUMANIDADE.
ATEU, QUER PROVAR QUE DEUS NÃO EXISTE. TODA RELIGIÃO É UMA ILUSÃO, BASEADA EM TEORIAS INVENTADAS PELAS IGREJAS, QUE NUNCA FORAM PROVADAS E SUBSISTEM HÁ MILHARES DE ANOS PELA NECESSIDADE DE CRER-SE EM ALGO SUPERIOR, MAIOR DO QUE NÓS, QUE DÊ SIGNIFICADO À NOSSA EXISTÊNCIA INCOMPREENSÍVEL, QUE SEJA UM AMPARO AS AFLIÇÕES E ALIVIE A IGNORÂNCIA DE NÃO SABERMOS PORQUE O UNIVERSO EXISTE. SABEMOS COMO, MAS, NÃO PORQUE.
ESSE GRANDE CIENTISTA DESEJA COMUNICAR À HUMANIDADE, CONFORME SUAS TEORIAS, QUE A VIDA, NA TERRA, SURGIU ESPONTANEAMENTE, NUMA COMBINAÇÃO DE ELEMENTOS QUÍMICOS, VINDOS DO ESPAÇO ATRAVÉS DOS METEOROS QUE, NO MAR, TERIAM DESENVOLVIDOS MOLÉCULAS, PELA ENERGIA DO ENORME CALOR DOS PRIMÓRDIOS, QUANDO A TERRA ERA CONSTITUÍDA DE TEMPESTADES DE RAIOS. PARA TANTO, MONTA UM ENORME SHOW, NO MUSEU GUGGENHEIM DE BILBAO, NA ESPANHA, AONDE ANUNCIARÁ, A MILHÕES DE TELESPECTADORES A RESPOSTA PARA A NOSSA ORIGEM. OS CONVIDADOS SÃO ESPECIAIS, ENTRE OS QUAIS O PRINCIPAL É SEU GRANDE AMIGO E ANTIGO PROFESSOR DE SIMBOLOGIA EM HARVARD (USA), ROBERT LANGDON, QUE TERÁ, AO LADO DA PERSONAGEM AMBRA VIDAL, DIRETORA DO MUSEU, E NOIVA DO PRÍNCIPE HERDEIRO DA ESPANHA, PAPEL FUNDAMENTAL NO DESENVOLVIMENTO DA TRAMA. ANTES DE FALAR AO MUNDO, O CIENTISTA CONVERSA COM OS LÍDERES DAS RELIGIÕES CRISTÃ, ISRAELITA E ISLÂMICA, EXPONDO SEU INTENTO, O QUE CAUSA HORROR AOS RELIGIOSOS, QUE PENSAM IMPEDIR ESSA REVELAÇÃO QUE ABALARÁ A FÉ E TRARÁ ENORME CONSEQUÊNCIAS SOCIAIS. NA NOITE DO GRANDE ANÚNCIO, A ASSISTÊNCIA, PELA TELEVISÃO E PELA INTERNET, CUJA PROPAGANDA PREVIAMENTE HAVIA SIDO FEITA, É A MAIOR JÁ VERIFICADA, COM BILHÕES DE TELESPECTADORES INTERESSADOS.                                    
O PROFESSOR ROBERT RECEBE UM FONE ESPECIAL COM COMUNICAÇÃO COM UM COMPUTADOR CUJO NOME É WISTON, CRIADO PARA SER O SECRETÁRIO PESSOAL DO BILIONÁRIO E QUE ORIENTARÁ O PROFESSOR, NÃO SÓ PELA NOITE, MAS, POR TODA A HISTÓRIA, TENDO, TAMBÉM, PARTE FUNDAMENTAL.
APÓS GRANDES EFEITOS DE APRESENTAÇÃO, EXPLICAÇÕES E DEMONSTRAÇÕES, QUANDO EDMOND VAI INICIAR SUA REVELAÇÃO, É IMPEDIDO POR UM ATENTADO. GRANDE CAOS SE ESTABELECE. O PROFESSOR ROBERT E A DIRETORA AMBRA, APÓS ENORMES COMPLICAÇÕES CONSEGUEM DEIXAR O AMBIENTE. AFLITOS, DECIDEM DAR CONTINUIDADE À DESCOBERTA DO CIENTISTA PARA COMUNICÁ-LA AO PLANETA, EM HONRA À SUA PESQUISA. COMO EDMOND MORAVA NA CASA MILÁ, CONSTRUÇÃO DO FAMOSO ARQUITETO SURREALISTA ANTONIN GAUDÍ, EM BARCELONA, E HAVIA MONTADO UMA VERDADEIRA FORTALEZA DE COMPUTAÇÃO, NA CIDADE, ELES PARTEM PARA LÁ, NA TENTATIVA DE DESCOBRIR O QUE SERIA COMUNICADO. SEMPRE AUXILIADOS PELO FIEL SECRETÁRIO ELETRÔNICO WISTON CHEGAM AO REDUTO DO CIENTISTA. FICAM ADMIRADOS COM A ENORME REDE DE COMPUTADORES DE NOVA GERAÇÃO CRIADOS POR EDMOND, QUE, QUANDO CONHECIDOS, IRÃO ASSOMBRAR O MUNDO. APÓS INÚMERAS TENTATIVAS, CONSEGUEM DESVENDAR A SENHA DO PRINCIPAL E CONHECEM O SEGREDO QUE SERIA ANUNCIADO.
NA VIDA REAL, NA DÉCADA DE 1950, OS QUÍMICOS BIO-CIENTISTAS STANLEY MILLER E HAROLD UREY FIZERAM A PESQUISA DE SIMULAR A CRIAÇÃO DE MOLÉCULAS, PELOS MESMOS PRINCÍPIOS DA SUPOSTA CRIAÇÃO DA VIDA, COM FOGO E CALOR, SEM A PARTICIPAÇÃO DA CENTELHA DIVINA. MAS DEPOIS DE MESES A TENTATIVA MOSTROU-SE INEFICAZ.
NA FICÇÃO DO LIVRO, EDMOND KIRSCH DESENVOLVE SEU TRABALHO A PARTIR DESSA IDEIA, APENAS AUMENTANDO A ENERGIA ATÔMICA NECESSÁRIA, ATUALMENTE POSSÍVEL GRAÇAS AOS AVANÇOS DA CIÊNCIA, O QUE PERMITIU A CRIAÇÃO DOS PRIMEIROS SINAIS DE VIDA.
E ASSIM, PODERIA NEGAR A PARTICIPAÇÃO DE DEUS.
CONTINUANDO A REVELAÇÃO, ELE PROVA QUE NO FUTURO, COM O AVANÇO TOTAL DA TECNOLOGIA E DO HOMEM BIÔNICO, O SER HUMANO DESAPARECERÁ, DANDO LUGAR A UM NOVO SER: O TECHNIUM, NASCIDO DA SIMBIOSE ENTRE O HOMO SAPIENS E A TECNOLOGIA, NUMA FUSÃO BIOLÓGICA. PARA ELE, EM 50 ANOS, AS FERRAMENTAS QUE VIVEM FORA DO CORPO HUMANO TAIS COMO APARELHOS DE AUDIÇÃO, IMPLANTAÇÃO DE CRISTAIS NA VISÃO, BRAÇOS E PERNAS MECÂNICAS, ÓRGÃO INTERNOS ARTIFICIAIS SOMADOS AO AVANÇO DA ENGENHARIA MOLECULAR, DA CRIOGENIA, DA INTELIGÊNCIA SINTÉTICA, MUDARÃO O QUE SIGNIFICA, HOJE, SER HUMANO. E PARA MELHOR. A TECNOLOGIA SERIA BARATA E TÃO DISSEMINADA QUE NÃO HAVERIA RICOS E POBRES.                               
O PROFESSOR E AMBRA DIVULGAM ISSO À HUMANIDADE, PARA MILHÕES DE VISUALIZAÇÕES, POR TODAS AS REDES SOCIAIS.
MOSTRAM QUE O TRABALHO DO CIENTISTA, INDEPENDENTE DE DEUS OU NÃO, TERÁ UM FIM BENÉFICO PARA O HOMEM, OU SEJA, O TECHNIUM SOBREVIVERÁ, DE UMA MANEIRA MAIS DIGNA, PELA TECNOLOGIA, AOS MALES CAUSADOS PELA VIDA. PASSARIA A HAVER MAIS IGUALDADE ENTRE OS NOVOS SERES
SEM PRECISAREM DISPUTAR AS PRÓPRIAS NECESSIDADES.
APÓS A TRANSMISSÃO, MILHARES DE RESPOSTAS ECOAM PELO MUNDO, CONTRÁRIAS E A FAVOR, COM OS RELIGIOSOS SEMPRE DIZENDO QUE SEJA QUAL FOR A MANEIRA, O INÍCIO DA PRIMEIRA REAÇÃO QUÍMICA SE REALIZOU COM ELEMENTOS DO UNIVERSO, CRIADO POR ALGUÉM SUPERIOR, NO CASO, DEUS.
TAREFA CUMPRIDA, AMBRA E O PROFESSOR SE DESPEDEM, SEGUINDO CADA UM SEU CAMINHO: O DELE, A VIDA ACADÊMICA. O DELA: SER RAINHA.

COMENTÁRIOS:
TODA A HISTÓRIA SE DESENVOLVE PELOS MEANDROS DE LUGARES MISTERIOSOS E TENEBROSOS, TÍPICOS DO AUTOR. AQUI, ESPECIALMENTE, PELAS TORRES DA IGREJA SAGRADA FAMÍLIA, EM BARCELONA, QUE COM TODA A SUA ARQUITETURA MONUMENTAL, AINDA NÃO TERMINADA, PERMITE CHARADAS A SEREM DESCOBERTAS COMO CHAVE DA SENHA DO CIENTISTA, AVENTURAS COM DIREITO A PERSEGUIÇÕES, AMEAÇAS E CRIMES.
COM TRAMA MAIS LÓGICA, NÃO CONTÉM OS ARROUBOS INVEROSSÍMEIS DO GRANDE SUCESSO CÓDIGO DA VINCI.
O INTERESSANTE A OBSERVAR É QUE ESSE LIVRO, EM CERTO SENTIDO, PARECE DAR CONTINUIDADE A IDEIA DO LIVRO HOMO DEUS (2015), DE YUVAL HARARI, AO AFIRMAR QUE NO FUTURO O HOMO SERÁ TÃO TECNOLÓGICO QUE PRESCINDIRÁ DE FORÇAS DIVINAS.
A DIFERENÇA É QUE O LIVRO DE HARARI É UM ESTUDO DAS NOVAS POSSIBILIDADES QUE CONSTITUIRÃO A HUMANIDADE. O DE DAN BROWN, BASEADO EM ALGUNS FATOS CIENTÍFICOS, É UMA FICÇÃO.


domingo, 12 de novembro de 2017

LIVRO: PENA DE MANDARIM - O PÁSSARO

MANDARIM!
UM PÁSSARO
QUE VEIO ATÉ MIM.
NÃO SABIA QUE EXISTIA.
CONHECI, PELA PRIMAVERA,
SEU CANTO QUE EXTASIA
E SUA IMAGEM SINGELA.                          
UM ENCANTO QUE REVELA
COMO A NATUREZA
CONCILIA BELEZAS.

A PLUMAGEM DAS AVES,
O FORMATO DAS FLORES,
O TOM DAS CORES ...
COM QUE MAJESTADE

ELA NOS EXIBE SUA PERFEIÇÃO.
COM QUE GENEROSIDADE
NOS CONVIDA À FASCINAÇÃO.


sexta-feira, 20 de outubro de 2017

LIVRO PENA DE MANDARIM - USURPAÇÃO?

NÃO SEI SE É USURPAÇÃO
APROPRIAR-SE POR DIREITO
DE AMIZADE E DE SAUDADE.
MAS, É TANTA A EMOÇÃO
DA RECORDAÇÃO DE UMA
ÉPOCA QUERIDA, TÃO IDA,
QUE OUSO CORRER O RISCO,
NÃO DA COMPARAÇÃO,
SERIA RIDÍCULO,
MAS, NO MEU TRAÇO ESPECÍFICO,
HOMENAGEAR O AMIGO
QUE ME DEU GRANDE ABRIGO
NA SUA CONSIDERAÇÃO.

LIVRO PENA DEMANDARIM - 2017

A SUAVE BRINCADEIRA PENA DE MANDARIM, UMA CANETA FICTÍCIA INVENTADA POR AMIGOS AO ELOGIAR A ESCRITA DO INTELECTUAL ORÔNCIO VAZ DE ARRUDA FILHO E QUE ACABOU ACREDITADA E DOCUMENTADA EM CRÔNICAS JORNALÍSTICAS DOS ANOS 1970 E 80, ARREBATO PARA MIM, POR DIREITOS DE HERDEIRO DA AMIZADE E DA SAUDADE.

NA VERDADE, ELA SÓ EXISTIU NA IMAGINAÇÃO DOS QUE LERAM E ACREDITARAM, QUE ESPECULAVAM SER MADREPÉROLA OU MARFIM.
A DENOMINAÇÃO JUSTIFICOU A INTENÇÃO: SÍMBOLO DE UMA LAVRA SÁBIA, REFINADA.

COM PRETENSÃO, DENTRO DO MEU ESTILO DE TEXTOS E POESIAS E NO ESFORÇO DO MEU MELHOR LAVOR, LANÇO MÃO COMO O TÍTULO DESTA PRODUÇÃO, PARA QUE CONTINUE UMA TRADIÇÃO LITERÁRIA.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

LIVRO AQUÉM DO ALÉM - PENSANDO SEMPRE O MESMO

JÁ HÁ MUITO SÉCULOS OS FAZEDORES DE POESIA EXPÕEM, EM SUAS OBRAS, UM CARÁTER DE MELANCOLIA, UM REGISTRO DE DORES E SOFRIMENTOS, PRINCIPALMENTE EM RELAÇÃO AO AMOR. ANTIGO QUE SOU, TENHO ESSA TENDÊNCIA, TALVEZ POR TER LIDO MAIS A POESIA TRADICIONAL QUE AS DE VANGUARDA. E, TAMBÉM, POR TER UM PENSAMENTO PESSIMISTA EM RELAÇÃO À VIDA, QUE ACHO DIFÍCIL SER VIVIDA, COM OS SEUS POUCOS CONTENTAMENTOS E MUITOS DESGOSTOS. NÃO CONSIGO ME CONFORMAR, ESPECIALMENTE, COM O COMPORTAMENTO HUMANO TÃO CHEIO DE FALHAS, COM TODA A MALDADE QUE PROPICIAMOS AO MUNDO E A NÓS MESMOS E SEMPRE ME PERGUNTO PORQUE SERÁ QUE SOMOS ASSIM? SE PODEMOS SER OS MELHORES, ENTRE OS SERES, PORQUE SOMOS OS PIORES? QUE SAGA É ESSA QUE O HOMEM TEM QUE CARREGAR QUE SEMPRE, TUDO, PRECISA ESTRAGAR? QUANDO LEMBRO DA FRASE QUE CONSIDERO DAS MAIS IMPORTANTES DO SÉCULO XX: - A TERRA É AZUL, DO ASTRONAUTA RUSSO IURI GAGARIN, FRASE QUE SIMBOLIZA TODA A GRANDEZA DA CAPACIDADE HUMANA, ACHO INCRÍVEL QUE ATÉ ESSA CONQUISTA SEJA RESULTADO DE RIVALIDADES E GUERRAS.
ASSIM, O QUE ESCREVO REFLETE MUITO ESSA VISÃO QUE TENHO DE NÓS MESMOS. ATÉ PORQUE COM O NOTICIÁRIO IMEDIATO QUE VIVEMOS, NÃO HÁ MUITA CHANCE DE PENSAR DIFERENTE.
E, NO ENTANTO, APESAR DE EXTERIORIZAR UMA TRISTEZA, (TALVEZ MAIS UMA SAUDADE DA FACILIDADE QUE TINHA EM SER ALEGRE), BEM NO ÍNTIMO, TENHO UM OTIMISMO OCULTO, QUIÇÁ UTÓPICO, QUE NÃO PERMITE ESMORECER. ACREDITO QUE TODAS AS PESSOAS TENHAM ISSO: UMA ESPERANÇA, NÃO SEI EM QUE, QUE NOS LEVA ADIANTE.
SEQUER ENTENDEMOS O SIGNIFICADO DE VIVER, MAS, PREFERIMOS ESSE DESCONHECIMENTO, A MORRER. 
E POUCO FAZEMOS PARA SERMOS MAIS PERFEITOS. 
ENFIM,  SE FOI A NATUREZA OU UMA DIVINDADE QUE NOS CRIOU,  SEJA QUAL FOR, NOS FEZ MUITO MAL FEITOS.

LIVRO AQUÉM DO ALÉM - CENAS INSÓLITAS - II

SEMPRE GOSTEI DE TEATRO E FICO FELIZ POR ISSO PORQUE ASSISTI, AO LONGO DESTA MINHA EXISTÊNCIA, PEÇAS MEMORÁVEIS, COM OS MAIORES ARTISTAS DA CENA BRASILEIRA DO SÉCULO XX. TOMEI CONHECIMENTO DE TEXTOS DE AUTORES NACIONAIS E ESTRANGEIROS, QUE AUXILIARAM A FORMAÇÃO DA MINHA OPINIÃO SOBRE A VIDA.
O PRIMEIRO ESPETÁCULO TEATRAL PROFISSIONAL QUE VI, LÁ PELOS MEUS 17 ANOS, FOI O MUSICAL MY FAIR LADY, NO ANTIGO TEATRO PARAMOUNT, EM SÃO PAULO, COM A INTERPRETAÇÃO DE BIBI FERREIRA E PAULO AUTRAN, NOS PRINCIPAIS PAPÉIS. ATÉ ENTÃO, AMANTE DO CINEMA E DA LITERATURA, ESSA INICIAÇÃO AO VIVO - COM MONTAGEM CENOGRÁFICA E ATUAÇÕES EXCELENTES, ALIADAS AO INTERESSANTE TEMA DE BERNARD SHAW, ADAPTADO POR ALAN JAY LERNER E MÚSICAS TÃO BONITAS DE FREDERIC LOEWE - MARCOU-ME PARA SEMPRE. ATÉ HOJE LEMBRO COM ENORME CARINHO. TEMPOS DEPOIS, REVI EM LONDRES, NUMA MONTAGEM INFERIOR A DE SÃO PAULO E NÃO TIVE A MESMA SENSAÇÃO.
A SEGUNDA VEZ FOI EM A NOITE DO IGUANA, DE TENESSEE WILLIAMS, COM CACILDA BECKER, VALMOR CHAGAS E OLGA NAVARRO. DAÍ EM DIANTE, ATÉ A ATUALIDADE, O TEATRO FAZ PARTE DO MEU CAMINHO, EM TODOS OS SEUS GÊNEROS, DRAMA, COMÉDIA OU MUSICAIS.
MAS, ESCREVO ESTAS LINHAS, NÃO PARA FALAR DE TEXTOS OU DA ATUAÇÃO DE ATORES E SIM PARA FALAR DE CENAS QUE PRESENCIEI E VENHO PRESENCIANDO NAS PLATEIAS.
ALGUMAS HILÁRIAS, OUTRAS CONSTRANGEDORAS, OUTRAS QUASE INVEROSSÍMEIS, O PÚBLICO VEM OFERECENDO, PARALELAMENTE AOS ACONTECIMENTOS DO PALCO, COMPORTAMENTOS TÃO LIVRES, QUE ME LEVAM A PENSAR NA FALTA DE LIMITES EXISTENTE, ESPECIALMENTE HOJE EM DIA, COM ESSA GERAÇÃO DESPROVIDA DE UM RESPEITO MAIS RÍGIDO PELO AMBIENTE E PELOS OUTROS.
SE BEM QUE O PRIMEIRO CASO QUE VOU COMENTAR, ACONTECEU HÁ MAIS DE TRINTA ANOS.        
REFIRO-ME A UM EPISÓDIO OCORRIDO NA EXIBIÇÃO DA PEÇA O BALCÃO, DE AUTORIA DE JEAN GENET, ENCENADA NO TEATRO RUTH ESCOBAR, EM SÃO PAULO, EM 1969. O TEXTO, COMO TODOS DESSE AUTOR, CRITICA O PODER VIGENTE, AS RELIGIÕES, IRONIZA AS CONVENÇÕES SOCIAIS E EXALTA A REBELDIA. DURANTE A ENCENAÇÃO, DE REPENTE, NA ASSISTÊNCIA, UM SENHOR LEVANTA-SE E COMEÇA A VOCIFERAR CONTRA O TEXTO, DIZENDO SER UM ATENTADO AO PUDOR, A LEI E A ORDEM E QUE A POLÍCIA DEVERIA INTERVIR E FECHAR O TEATRO. NO PRINCÍPIO PENSOU-SE QUE FAZIA PARTE DA REPRESENTAÇÃO, MAS, AO PERCEBER QUE NÃO, O PÚBLICO INICIOU UMA GRANDE VAIA E ESTA PESSOA E SEUS AMIGOS RETIRARAM-SE, INDIGNADOS. ERA A ÉPOCA DA DITADURA MILITAR E TODOS FICARAM INCOMODADOS COM A POSSIBILIDADE DE, REALMENTE, CHEGAR A POLÍCIA. MAS, O ESPETÁCULO REINICIOU E NADA MAIS SUCEDEU. O FATO FOI COMENTADO NOS JORNAIS.
OUTRA PARTICIPAÇÃO DO PÚBLICO “ASSISTI” NA PEÇA RODA VIVA, DE AUTORIA DE CHICO BUARQUE.
NO TEXTO, UM ATOR (ACREDITO TER SIDO O ANTONIO PEDRO) DIZIA, EM DETERMINADO MOMENTO, QUE PARA O GOVERNO, TEATRO SÓ ERA FREQUENTADO POR COMUNISTAS OU POR HOMOSSEXUAIS. E PERGUNTA AO PÚBLICO: - TEM ALGUM COMUNISTA AÍ? É CLARO QUE EM FERRENHA DITADURA DE DIREITA, COM MUITA GENTE SENDO PRESA E TORTURADA, NINGUÉM IA ABRIR A BOCA. E NO SILÊNCIO DA ASSISTÊNCIA O ATOR CONTINUAVA: - MAS, ENTÃO QUER DIZER QUE TODOS VOCÊS SÃO HOMOSSEXUAIS? TODOS RIRIAM E A PEÇA CONTINUAVA. NA NOITE EM QUE EU ESTAVA, AO FAZER ESSA PERGUNTA, UM JOVEM, SABENDO A FALA QUE VIRIA A SEGUIR, DISSE: - EU SOU COMUNISTA. O ATOR NÃO ESPERAVA A RESPOSTA E TEVE QUE IMPROVISAR, DECLARANDO QUE O JOVEM DEVERIA SER PRESO, QUE ISSO ERA UMA VERGONHA, AONDE IRIA PARAR A JUVENTUDE DO BRASIL, ETC. OS OUTROS ATORES NÃO CONSEGUIRAM SEGURAR O RISO, PELA INTERRUPÇÃO INESPERADA. QUANDO A PEÇA CONTINUOU COM AS FALAS NORMAIS, EU VIREI PARA O JOVEM E PERGUNTEI: - VOCÊ SABE QUE ALTEROU O TEXTO? ELE RESPONDEU QUE SIM, E NÃO SE IMPORTAVA PORQUE IA VIAJAR, NAQUELA NOITE, PARA A CIDADE DELE, NO INTERIOR E NÃO TINHA MEDO DE REPRESÁLIAS.
(ESSA PEÇA, COMO TANTAS, TAMBÉM CRITICA O PODER, A SOCIEDADE E A RELIGIÃO. E FOI ATACADA POR FANÁTICOS DE DIREITA, PERTENCENTES AO CCC: COMANDO DE CAÇA AOS COMUNISTAS, NUMA NOITE, QUANDO QUEBRARAM CENÁRIOS E AGREDIRAM BRUTALMENTE OS ARTISTAS, ALGUNS TENDO QUE IR PARA O HOSPITAL. ASSIM FORAM OS ANOS DA DITADURA).
NUMA OUTRA OCASIÃO, TAMBÉM HÁ MUITO TEMPO, NO TBC-TEATRO BRASILEIRO DE COMÉDIA, O ATOR JORGE DÓRIA REPRESENTAVA O AVARENTO, DE MOLIÈRE. NUMA FASE DE INICIAÇÃO DA PARTICIPAÇÃO INTERATIVA, O ATOR PEDE AO PÚBLICO QUE, NO MOMENTO EM QUE ELE BATESSE NUMA PORTA PARA ENTRAR, TODOS PERGUNTASSEM: - QUEM É? ELE BATEU, MAS, POR TIMIDEZ, NINGUÉM SE AVENTUROU A FALAR. ELE ENTROU E DISSE: - QUE CURIOSO! NOS MEUS TRINTA ANOS DE TEATRO EU JÁ VI ERRO DE DIREÇÃO, DE ENCENAÇÃO, DE SOM, DE ATUAÇÃO. MAS, ERRO DE PLATEIA EU NUNCA TINHA VISTO. É A PRIMEIRA VEZ. TODOS RIMOS E A APRESENTAÇÃO SEGUIU.
JÁ BEM MAIS ATUAL, UNS DOIS ANOS ATRÁS, ASSISTI HAMLET, DE SHAKESPEARE. ESTAVA NUM BOM LUGAR, NO TEATRO TUCA, TAMBÉM EM SÃO PAULO, QUANDO COMECEI A SENTIR UM CHEIRO INSUPORTÁVEL DE GORDURA. O TEATRO ESTAVA ESCURO, MAS, VI, AO MEU LADO, UM JOVEM CASAL COMENDO, CALMAMENTE, EM UMA PEQUENA BANDEJA DE PAPELÃO, KIBES E ESFIHAS. A GORDURA E OS MODOS DO CASAL ME INCOMODARAM DE TAL MANEIRA, QUE PRECISEI MUDAR DE LUGAR E IR PARA TRÁS, AONDE AINDA HAVIA ASSENTO VAGO, FURIOSO POR VER OS ATORES MUITO LONGE. 
RENCENTEMENTE, FUI VER A PEÇA O EMPRÉSTIMO, NO TEATRO FOLHA. LÁ PELAS TANTAS, COM OS MUITOS GRITOS NO PALCO, ESCUTEI UM RÁPIDO CHORO DE NENÊ. PENSEI EM ALGUMA PORTA OU CADEIRA RANGENDO. NUM GRITO MAIS ALTO, NOVAMENTE OUVI O PEQUENO CHORO. OLHEI NA DIREÇÃO DO SOM E VI UMA JOVEM MOÇA, COM UM BEBÊ DE MESES, NO COLO, EMBALANDO-O. AO LADO DELA, UM CASAL MAIS IDOSO DAVA-LHE ATENÇÃO, PRINCIPALMENTE A SENHORA, QUE IMAGINEI SER A MÃE DA MOÇA.
COMO A PEÇA ERA FRAQUÍSSIMA E CANSATIVA, NA VERGONHA DE SAIR NO MEIO, PASSEI A DAR A TENÇÃO À CRIANCINHA.
INTRIGADO COM A QUESTÃO, ME INDAGAVA: - PORQUE UMA JOVEM LEVARIA UM BEBÊ, À NOITE, NUMA REPRESENTAÇÃO TEATRAL ADULTA, COM ATUAÇÃO HUMORÍSTICA EXAGERADA E BARULHENTA, QUE FAZIA TODOS RIREM ALTO DEMAIS? CLARO QUE O BEBÊ NÃO ENTENDERIA NADA, MAS, TODO O ALARIDO PODERIA ASSUSTÁ-LO, PRINCIPALMENTE AO ACORDAR NUM LOCAL ESTRANHO E ESCURO. CONTUDO, AO SENTIR O ACONCHEGO DA JOVEM (MÃE?), VOLTAVA A DORMIR. SERIA O FILHO DE ALGUÉM DO ELENCO? ACHEI A ATITUDE TÃO ERRADA QUE NÃO PENSEI EM OUTRA COISA. IMAGINAVA QUE PESADELOS O NENÊ PODERIA VIR A TER COM OS MUITOS GRITOS QUE O ACORDAVAM.
ALÉM DE NÃO ENTENDER, REFLETI COMO NÃO HÁ LIMITES PARA A ATITUDE DAS PESSOAS. ERRADAS OU NÃO, FAZEM O QUE QUISER OU O QUE NECESSITAM, EM QUALQUER LOCAL. PARECE QUE SE PERDEU A NOÇÃO DE PROPRIEDADE ENTRE AMBIENTE E POSTURA. NÃO SEI ATÉ QUE PONTO, ESSA TOTAL LIBERDADE DE COSTUMES É BOA. MAS, ENFIM, SÃO OS “MODERNOS” TEMPOS ATUAIS!
SERÁ QUE NAS IGREJAS, TAMBÉM, ASSIM, ACONTECE?
COMO ATEU (DUVIDOSO E POUCO CONVICTO) QUE SOU, NÃO AS FREQUENTO. POR ISSO, NÃO FAÇO IDEIA.
SE BEM QUE LEMBRO QUE EM 1981, NUMA CIDADEZINHA AO REDOR DE ROMA, NA ITÁLIA, ENTREI NUMA IGREJA PEQUENA E SIMPÁTICA, NUM DOMINGO EM QUE HAVIA MISSA. NOS BANCOS DE TRÁS, NOS QUAIS SE REUNIAM OS HOMENS (AS MULHERES E CRIANÇAS FICAVAM NA FRENTE), A MAIORIA CONVERSAVA E UM RAPAZ LIA, OSTENSIVAMENTE, UM JORNAL. OS TEMPOS “MODERNOS” VÊM DE LONGE.


OBSERVAÇÃO, APENAS COMO CURIOSIDADE: ESTA ÚLTIMA PEÇA MENCIONADA, COM TEMA FRACO E HUMOR FORÇADO, PARA FAZER RIR, FOI TÃO DESAGRADÁVEL, QUE PERDI A VERGONHA E SAÍ ANTES DO FINAL. NÃO AGUENTEI.





segunda-feira, 29 de maio de 2017

LIVRO AQUÉM DO ALÉM - GRAVAÇÕES

MARCAS QUE NÃO SE APAGAM.
QUE NOS DESGASTAM OU AFAGAM,
AS OCORRIDAS NA INFÂNCIA.
E, APESAR DA DISTÂNCIA,
É INTENSA A CONSTÂNCIA.


NO TRANSCORRER
DO TEMPO LENTO DOS SENTIMENTOS,
AS DOS MOMENTOS
DE ALEGRIAS, CONTENTAMENTOS,

ÀS VEZES, CAEM NO ESQUECIMENTO.
AS QUE PERSISTEM,
NÃO SAEM DO PENSAMENTO,
SÃO AQUELAS DE ERROS,
E DE SOFRIMENTOS.